Blog

Como faço para ganhar mais?

Ganhar mais, muitas vezes, para poder ter mais e fazer mais coisas é algo que parece muito familiar à sociedade moderna. Somos, muitos de nós, culturalmente consumistas, por vivermos num cenário capitalista e, portanto, os recursos sempre nos parecem escassos.

O que precisamos entender é o quanto ganhar mais é possível e o quanto ganhar mais me levará apenas a gastar mais num descontrole frenético que leva a muitos ao caos financeiro.

Esta discussão à parte, eu entendo perfeitamente o desejo de conforto que alguns cifrões trazem consigo, conforto físico, estabilidade e até mesmo emocional.

E então como ganhar mais? Como obter mais recursos para ter uma vida mais confortável ou poder viajar para o lugar dos sonhos, comprar uma casa, pagar uma boa escola para os filhos, enfim os sonhos são inúmeros, mas os recursos são sabidamente raros.

Esta é a tônica de várias discussões do mundo moderno, recursos limitados para necessidades ilimitadas.
Eu quero sugerir aqui uma primeira análise pela ótica das necessidades e, avaliar, o quanto elas são reais. Muitos de nós nos entregamos a um frenesi incontrolável de precisar de coisas absolutamente dispensáveis e nos frustramos por não ter dinheiro para satisfazer a estas necessidades.

Quanto será que seria possível obter de recursos adicionais se nossa avaliação passasse pelo que realmente precisamos? As diversas mídias disponíveis nos apresentam os mais variados bens e serviços para criar em nós a necessidade de consumo, mas isto é verdadeiro? Você realmente precisa de tudo que consome? Você já fez esta análise? Já listou seus gastos mensais e verificou o quanto eles são realmente necessários? Já os multiplicou por 12 para entender o montante anual ou pelos seus potenciais anos de vida pra saber o quanto esta despesa ( que parece pequena ) absorve dos seus recursos?

Este é um exercício interessante e quando aplicado à metodologia de coach percebemos o quanto os recursos se esvaem sem a percepção de quem os administra. Não nos damos conta do quanto gastamos e sequer em que gastamos.
Isto avaliado, organizado e planejado é possível então partir para a outra vertente do problema que é a ampliação dos recursos obtidos. Como fazer isto? Esta é outra análise interessante porque as pessoas muitas vezes não se dão conta das suas habilidades e das possibilidades geradas por elas.

Outra questão é o quanto se está disposto ou o quanto se necessita ampliar a entrada de recursos. Eu, pessoalmente, não faço julgamento sobre trabalho ou a natureza dele. Meu entendimento é de que todo trabalho digno merece respeito e admiração. Certamente não são todos que pensam assim e classificam as pessoas ou a si mesmo pelo trabalho que realizam de forma hierarquizada ou algo parecido.

O quanto você precisa de recursos? É possível diminuir as saídas? Como você pode ganhar mais? Há outras atividades a serem desenvolvidas que possam ampliar seus recursos? Você tem outras habilidades que lhe dariam a possibilidade de uma atividade remunerada?

Esta é uma questão para a qual o individuo deve se preparar para ser o protagonista da historia e jamais terceirizar a solução. Pensar num aumento na atividade exercida pode ser justo, mas nem sempre é viável e muitos , por ignorância ou falta de habilidade, acabam fazendo isto e vivendo uma ciranda de desmotivação e indignação com o outro quando na verdade a tarefa está em suas mãos.

Como tudo e em tudo, eu acredito no homem que toma as rédeas da sua história e faz acontecer independente das circunstâncias.

Experimente!

Publicado na categoria: Blog Tags , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17mar

Ser Mulher