Artigos

Sua carreira decolando com coaching

mi_8599367144278614As consultorias de coaching têm sido cada vez mais procuradas por pessoas físicas e empresas para dar conselhos de carreira. No Instituto Brasileiro de Coaching, por exemplo, nos últimos dois anos, cresceu 400% o número de alunos que passaram pela escola.
Coach, numa tradução inglesa, é o cocheiro – aquele que leva alguém de um lugar a outro. Com um método baseado em perguntas, o consultor coach descobre quais são os desejos profissionais do coachee – pessoa que passa por esse processo – e o ajuda a concretizar o plano.

Foi assim com o economista Alexandre Martins. Depois de trabalhar mais de 30 anos em um banco público, Martins, de 54 anos, decidiu que era hora de mudar. Estabilidade no trabalho não era bem ele queria. Martins desejava continuar crescendo profissionalmente. O cenário na companhia na qual trabalhava não indicava possibilidade para ascensão. Foi então que, em 2010, aos 51 anos, pediu demissão e se aposentou por conta própria, com o dinheiro acumulado durante anos de contribuição previdenciária.

Ainda sem saber o que fazer dali para frente, ele procurou um coach. Alguns encontros depois, ele já estava com a nova carreira definida. “O coaching foi extremamente importante na naquele momento de transição”, avalia. Hoje, o economista dá aulas no curso de pós-graduação em uma universidade de Brasília e é consultor em empresas.

Aperfeiçoamento

Ascender na carreira, encontrar um novo rumo profissional, aprender a melhorar o relacionamento interpessoal ou liderar equipes são algumas das necessidades dos coachees. O processo de coaching é planejado em etapas e tem início, meio e fim. Quando o coachee começa a consultoria, tem de saber aonde quer chegar. Tendo claro qual é o resultado pretendido, o consultor ajuda seu cliente a desenvolver habilidades técnicas ou comportamentais, em curto espaço de tempo. “Fiz várias reflexões sobre minha atuação profissional e isso fez com que melhorasse meu preparo para o mercado”, disse Martins.

Não raro, o coaching é comparado à terapia psicanalítica, mas o método é bem diferente. De maneira focada no objetivo do profissional que busca o serviço, o coach o capacita a fazer coisas que ele julga impossíveis, mostra as possibilidades que tem mas não consegue enxergar, e o acompanha no processo de mudança. “O coaching intervém na vida das pessoas mais rápido do que os processos psicoterápicos convencionais”, diz Homero Reis, da Homero Reis e Consultores.

Traumas e superações

O coaching não lida com aspectos do passado, traumas ou a causa do problema, como na psicoterapia. Seu foco é a solução. Se o coachee tem uma frustração, o consultor pergunta qual foi o aprendizado tirado dessa experiência e como isso pode ser usado para acertar no presente e no futuro.

Segundo Richelli Sachetti, consultora da Sociedade Brasileira de Coaching (SBCoaching), há muitas pessoas referindo-se a esse tipo de consultoria como auto-ajuda. Ela discorda. “No coaching, a pessoa precisa ter um objetivo claro e definido”, diz. Para a especialista, quando alguém procura um mentor é porque não quer mais ficar a mercê dos acontecimentos, à espera de uma promoção e começa a agir para que tudo aconteça. “A pessoa estuda e se desenvolve para que o chefe ou o mercado o veja como alguém preparado para ocupar tal cargo”, diz.

Objetivos

Com o objetivo definido, couche e couchee combinam a quantidade de encontros ou o tempo necessário. As sessões de coaching duram o tempo que a pessoa determinar, e varia de acordo com o projeto dela. A média de sessões é de dez encontros, uma ou duas vezes por semana. A cada sessão, o cliente sai com um plano de metas que deve ser seguido. As ações serão analisadas posteriormente para que coach e coachee percebam o quanto se aproximou do objetivo.

Como subir na carreira?

Subir na carreira é o sonho de muitos, mas conseguir realizar pode não ser tão fácil – e nem rápido. Antes de o objetivo acontecer, muitos fatores devem ser considerados, como a análise de cenário. Se a empresa oferece espaço para ascensão, se a pessoa está capacitada para assumir um cargo mais alto, se tem competências necessárias para ser um líder .

“É preciso avaliar o meio ambiente que essa pessoa está para tomar as melhores decisões. Não adianta prometer que ele será promovido, se nem existe a vaga disponível para que isso aconteça”, Richelli, da SBCoaching.

Neste caso, mesmo que não exista a oportunidade ideal, é preciso se preparar para quando esse momento chegar. E, mesmo que a promoção não aconteça dentro da empresa, o mercado poderá se interessar por um profissional qualificado. No processo de coaching há um planejamento que é divido em oito passos. O máster coach José Roberto Marques, do Instituto Brasileiro de Coaching, compartilhou com a DINHEIRO os oito etapas trabalhadas no processo de coaching para que o couchee possa subir na carreira.

1º Encontro. O coach pergunta quais são as diretrizes profissionais do coachee, o que ele quer alcançar.

2º Encontro. Os dois estabelecem objetivos realistas. Fazem uma análise do cenário em que o couchee está: qual posição ele ocupa, quanto ele ganha, qual a pretensão salarial futura e qual a viabilidade disso acontecer.

3º Encontro. O coach faz um mapa da rede relacionamentos do coachee e como o networking dele vai ajudá-lo a se colocar na posição almejada.

4º Encontro. O coach discute as expectativas de valor do coachee. Isso significa saber quais são os valores que norteiam a vida do coachee e porque ele quer mudar, o que o movimenta para o novo trabalho ou posição.

5º Encontro. Os dois definem uma ação focada para o objetivo acontecer. O coachee vai fazer entrevistas, vai mandar currículos, vai sondar a possibilidade de uma promoção dentro da companhia em que está trabalhando atualmente, etc.

6º Encontro. Analisar a competitividade. O coachee precisa saber se está preparado em relação a concorrência. Se ele quiser, por exemplo, ganhar R$ 50 mil, deve saber qual é o perfil do profissional que ganha esse salário e o que precisa ser feito para alcançar o nível deste profissional.

7º Encontro. Determinar as ações e trabalhar as competências que não tem. Se quiser ser diretor, ele deve saber o que precisa fazer para alcançar essa posição.

8º Encontro. Coach e coachee analisam o que foi feito nos encontros anteriores e o que falta fazer para alcançar o objetivo. Nesse encontro, o coachee sairá com um planejamento do que fazer nos próximos seis meses e permanecerá em contato para que o coach saiba como anda o processo rumo à ascensão na carreira.

Fonte: Isto é Dinheiro

Publicado na categoria: Artigos Tags , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *